Membros

As instituições de ensino superior membros da Rede Brasileira de Instituições de Ensino Superior para o Desenvolvimento Sustentável (UniSustentável) são:

 

A Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) é a maior universidade do estado de Mato Grosso do Sul, localizada na região Centro-Oeste do Brasil, com 30 mil estudantes, 3 mil funcionários, 143 cursos de graduação e 68 de pós-graduação, tanto presenciais como a distância. Possui campi em Campo Grande, a capital do estado, e em outras nove cidades (Aquidauana; Chapadão do Sul; Coxim; Naviraí; Nova Andradina; Paranaíba; Ponta Porã; Três Lagoas e Corumbá), além das Bases de Estudo de Pantanal e Bonito. Geograficamente privilegiados, os campi da UFMS estão situados em três biomas brasileiros diferentes, que se estendem por Mato Grosso do Sul: Pantanal, Cerrado e Mata Atlântica.
Criada em 1962 e federalizada em 1977, tornando-se a Fundação Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, a UFMS tem a sustentabilidade no texto do seu Estatuto, entre seus oito valores, e o “crescimento sustentável do país” em sua missão. A UFMS tem como objetivo promover os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) das Nações Unidas (ONU), em consonância com o compromisso da Agenda 2030 de “não deixar ninguém para trás”.
Site: www.ufms.br.
Site da Diretoria de Desenvolvimento Sustentável: www.dides.ufms.br.
Representante da UFMS na Rede: Prof.ª Dr.ª Rosamaria Cox Moura Leite Padgett
Contato: rosamaria.leite@ufms.br
Suplente da UFMS na Rede: Leonardo Chaves de Carvalho
(Diretor de Desenvolvimento Sustentável)

A Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD) foi fundada no ano de 2005 e está localizada no município de Dourados/MS. Caracteriza-se por uma Instituição de Ensino Superior Pública, com natureza jurídica de Autarquia Federal, vinculada ao Ministério da Educação – MEC, que atualmente conta com 42 (quarenta e dois) cursos de graduação, entre bacharelado e licenciatura (modalidades presencial e à distância), 34 (trinta e quatro) cursos de pós-graduação stricto sensu. Além disto, desenvolve várias ações de pesquisa e extensão universitária, interagindo com a sociedade em um exercício de contribuição mútua, construção de saberes e qualificação de sujeitos sociais.
Site: www.ufgd.edu.br
Representante da UFGD na Rede: Beatriz Marin Cristaldo (Engenheira Ambiental e Sanitarista)
Contato: beatrizcristaldo@ufgd.edu.br
Suplente da UFGD na Rede: Eduardo Manfredini Ferreira

A Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul foi concebida na primeira constituinte do Estado, em 1979 e implantada em 1993 com objetivo de promover a interiorização do ensino superior. Assim, a UEMS está presente em todas as regiões do estado, oferece 80 cursos de graduação e 28 cursos de pós-graduação estrategicamente distribuídos em 28 municípios do Mato Grosso do Sul (15 unidades universitárias e 13 polos EaD). Hoje a UEMS oferece ensino, pesquisa, extensão e inovação vinculada ao desenvolvimento socioeconômico e cultural de MS. Atualmente a UEMS busca estratégias para tornar os processos e os espaços mais sustentáveis.
Site: www.uems.br
Representante da UEMS na Rede: Profª. Drª. Zildamara dos Reis Holsback
Contato: zildamara@uems.br
Suplente da UEMS na Rede: Flávia Maria Fogaça

 

A Universidade do Estado do Rio Grande do Norte – Uern é uma entidade estadual com autonomia didática-científica, administrativa, patrimonial e financeira. A Uern foi criada em 28 de setembro de 1968, pela Lei Municipal no 20/68, e posteriormente estadualizada pela Lei Estadual no 5.546, em 8 de janeiro de 1987.
A Uern possui campus em seis cidades e atuação em todo estado do Rio Grande do Norte. Seus seis campi estão localizados nas cidades de Mossoró, Assu, Caicó, Natal, Patu e Pau dos Ferros. Para além desses, com a implementação de novos cursos pela Diretoria de Educação a Distância (DEaD), a instituição amplia sua atuação territorial com 15 polos de apoio presencial para os cursos que são ofertados a distância (Mossoró, Assú, Caraúbas, Grossos, Guamaré, João Câmara, Natal, Luis Gomes, Patu, Marcelino Vieira, Apodi, Martins, São Gonçalo do Amarante, Currais Novos e
Parnamirim).
Atualmente, a Uern dispõe de 8 bibliotecas, 114 laboratórios, 12 auditórios e a gestão acadêmica do Hospital da Mulher Parteira Maria Correia. Na área artística e cultural, a Uern conta com uma editora universitária, a Edições Uern, a Escola de Música Dalva Stella Nogueira Freire, o Grupo de Dança Universitário de Mossoró (Geutum), o Grupo de Teatro Universitário de Mossoró (Grutum), no Campus Mossoró; a Escola de Extensão (EdUCA), o Grupo de Teatro Baobá e o Grupo Cinese de Dança, no Campus Natal; e, ainda, com o Museu de Cultura Sertaneja (MCS), no campus Pau dos Ferros.
Site: https://portal.uern.br/
Representante da UERN na Rede: Profª. Drª. Cicilia Raquel Maia Leite
Contato: reitoria@uern.br
Suplente da UERN na Rede: Jéssica Figueiredo

 

A Unigran Capital instalou-se em Campo Grande no ano de 2007, trazendo a experiência de mais de 40 anos em Educação Superior da Unigran Educacional e, desde então, transformou em realidade os sonhos de milhares de pessoas que buscam no ensino superior uma oportunidade de mudança de vida. Nossa missão é promover a educação superior de excelência para a sociedade e o desenvolvimento local, regional e global, de maneira criativa, inovadora, empreendedora e sustentável, sob os princípios da democracia, da ética e da justiça social.
Site: www.unigran.br/campogrande
Representante da Unigran Capital na Rede: Prof. Dr. José Alexandre dos Santos
Contato: academicacapital@unigran.br
Suplente da Unigran Capital na Rede: Prof.ª Dr.ª Débora Teixeira Cruz

A Universidade Federal de Santa Maria foi a primeira universidade federal criada no interior, fora de uma capital brasileira. Esse fato representou um marco importante no processo de interiorização do ensino universitário público no Brasil e contribuiu para o Rio Grande do Sul tornar-se o primeiro Estado da Federação a contar com duas universidades federais. Está sediada em Santa Maria (Rio Grande do Sul, Brasil), bairro Camobi, na Cidade Universitária Prof. José Mariano da Rocha Filho, onde acontece a maior parte de suas atividades acadêmicas e administrativas. Possui, ainda, três campi fora de sede: um em Frederico Westphalen, um em Palmeira das Missões e outro em Cachoeira do Sul.
Além dos campi, a atual estrutura é composta por doze Unidades Universitárias: Centro de Artes e Letras, Centro de Ciências Naturais e Exatas, Centro de Ciências Rurais, Centro de Ciências da Saúde, Centro de Ciências Sociais e Humanas, Centro de Educação, Centro de Educação Física e Desportos, Colégio Politécnico, Centro de Tecnologia, Colégio Técnico Industrial de Santa Maria, Espaço Multidisciplinar da UFSM em Silveira Martins, Unidade de Educação Infantil Ipê Amarelo.
No ensino presencial, oferece 131 cursos/habilitações de graduação, sendo 11 cursos superiores de tecnologia, 37 de licenciatura plena e 83 de bacharelado. Além disso, a instituição oferta 106 cursos de pós-graduação, sendo 34 de doutorado, 59 de mestrado, 12 de especialização e um programa de pós-doutorado. Na educação básica e técnica, são 24 cursos técnicos pós-médios, 4 técnicos para ensino médio, um curso de ensino médio e um curso de educação infantil. (Dados de 21.11.2019. Para dados atualizados, consultar o  Portal UFSM em Números.
O corpo discente é constituído de aproximadamente 30 mil estudantes, sendo 27 mil na modalidade presencial e 3 mil na modalidade de ensino a distância. O quadro de pessoal conta com cerca de  5 mil servidores. Destes, 2.2 mil são docentes e 2,8 mil são técnico-administrativos em educação. (Para dados atualizados, consultar o  Portal UFSM em Números).
Site:https://www.ufsm.br/
Representante da UFSM na Rede: Prof. Dr. Rafael Lazzari
Contato: rlazzari@ufsm.br
Suplente da UFSM na Rede: Lucas Langner

A Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE) é uma instituição centenária, com tradição em ensino, extensão e pesquisa em Pernambuco e no país. Sua história secular é marcada, ao mesmo tempo, pela capacidade de inovação ao buscar contribuir com a superação dos problemas socioambientais e o desenvolvimento sustentável em projetos e pesquisas que envolvem as ciências tecnológicas, agrárias, humanas, sociais e exatas.
Atualmente, a UFRPE dispõe de infraestrutura acadêmica e administrativa composta por mais de 1.200 docentes, mais de mil técnicos(a)s administrativo(a)s e mais de 500 trabalhadores(a)s terceirizado(a)s, além de cerca de 17 mil discentes. Está presente em todas as regiões do estado de Pernambuco, além de parte da Bahia, por meio de Unidades Acadêmicas, Estações de Pesquisa e Polos de Educação a Distância (EAD). Isso representa um universo de 31 municípios que contam com uma ou mais ações da Universidade.
A Instituição oferta anualmente mais de 3780 vagas em 55 cursos de graduação nas áreas de ciências agrárias, ciências exatas e da terra, ciências humanas, ciências sociais aplicadas, ciências biológicas e ciências da saúde, distribuídos no campus do Recife e nas Unidades Acadêmicas de Serra Talhada (UAST), do Cabo de Santo Agostinho (UACSA) e de Belo Jardim (UABJA), além de Educação a Distância (UAEADTec). Na pós-graduação, destaca-se na produção de pesquisa com 48 programas de mestrado e doutorado. Também oferta Ensino Médio e cursos técnicos no Colégio Agrícola Dom Agostinho Ikas (Codai). Além disso, a UFRPE possui ainda estações avançadas de pesquisa como a Clínica de Bovinos e as Estações Ecológica de Tapacurá, de Agricultura Irrigada de Parnamirim, de Agricultura Irrigada de Ibimirim e Experimentais de Cana-de-açúcar de Carpina e de Pequenos Animais do Carpina, onde são desenvolvidas pesquisas e ações com impacto no desenvolvimento socioeconômico e ambiental, desde a Zona da Mata até o sertão de Pernambuco.
Por meio de uma gestão democrática e inclusiva, aliada ao princípio da autonomia, a UFRPE busca a excelência por meio do estreitamento dos canais de diálogo e da atenção às principais questões da comunidade universitária e da sociedade. Além da trajetória e expertise na condução de atividades acadêmicas e administrativas, a UFRPE vem fortalecendo seu perfil holístico, a partir de políticas e ações conectadas com as questões contemporâneas voltadas à sustentabilidade, à valorização da vida e do cuidado humano.
Site: https://www.ufrpe.br/
Representante da UFRPE na Rede: Janielly Mantovani Cravo 
(Coordenadora de Sustentabilidade da Pró-Reitoria de Planejamento e Gestão Estratégica)
Contato: janielly.mantovani@ufrpe.br
Suplente da UFRPE na Rede:  Éder Lira de Souza Leão
(Diretor do Núcleo de Empreendedorismo e Inovação do Instituto Ipê)

O Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca (Cefet/RJ) teve sua origem em 1917, como Escola Normal de Artes e Ofícios Wenceslau Braz. Atualmente, é uma instituição federal de ensino que se compreende como um espaço público de formação humana, científica e tecnológica. Oferece cursos técnicos integrados ao ensino médio, subsequentes, tecnológicos, de graduação e de pós-graduação lato sensu e stricto sensu (mestrado e doutorado), nas modalidades presencial e a distância.
O Cefet/RJ atua na tríade ensino, pesquisa e extensão e visa contribuir para a formação de profissionais bem preparados para o desenvolvimento econômico e social de mesorregiões do estado do Rio de Janeiro. Desde a expansão da rede federal de ensino técnico e tecnológico, a instituição conta com a unidade sede – no bairro Maracanã – e mais sete unidades descentralizadas (Uneds) – uma em Maria da Graça, também no Rio de Janeiro, além de outras nos municípios de Nova Iguaçu, Petrópolis, Nova Friburgo, Itaguaí, Valença e Angra dos Reis.
O Cefet/RJ tem como missão “promover a educação mediante atividades de ensino, pesquisa e extensão que propiciem, de modo reflexivo e crítico, a formação integral (humanística, científica e tecnológica, ética, política e social) de profissionais capazes de contribuir para o desenvolvimento científico, cultural, tecnológico e econômico da sociedade” e defende os seguintes valores: “comprometimento e responsabilidade; busca pela excelência; respeito aos direitos humanos; governança e transparência; inovação; consciência ambiental; autonomia; gestão compartilhada; meritocracia”.
Site: http://www.cefet-rj.br/
Representante do Cefet-RJ na Rede:  Prof.ª Dr.ª Aline Guimarães Monteiro Trigo  
(Chefe da Divisão de Estratégia para Sustentabilidade Ambiental Institucional (DISAI/ DIGES/CEFET/RJ)
Contato: aline.trigo@cefet-rj.br
Suplente do Cefet-RJ na Rede: Prof. Dr. Felipe do Carmo Amorim
(Coordenador de Pesquisa e Estudos Tecnológicos (COPET/ DIPPG/CEFET/RJ)

O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo (IFSP) é reconhecido por sua excelência no ensino público gratuito de qualidade, tendo iniciado suas atividades em 1909, como Escola de Aprendizes Artífices, recebendo posteriormente os nomes de Escola Técnica Federal de São Paulo e Centro Federal de Educação Tecnológica de São Paulo.
Com a criação da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica, vinculada ao Ministério da Educação, por meio da Lei Federal nº 11.892, de 29 de dezembro de 2008, o IFSP passou a ter relevância de universidade (autonomia administrativa, patrimonial, financeira, didático-pedagógica e disciplinar) desenvolvendo, além do Ensino, também a Pesquisa e a Extensão.
Atualmente o IFSP conta com: – 42 unidades, composto por uma reitoria, 37 unidades em funcionamento e 4 em implantação; – 60.000 estudantes – 6600 servidores (professores e técnicos administrativos).
Isso o caracteriza como uma valiosa ferramenta para a execução das estratégias constantes no Plano Nacional de Educação 2014-2024, como o cumprimento da Estratégia 3.7 (expansão das matrículas gratuitas de ensino médio integrado à educação profissional), da Meta 11 (triplicar as matrículas da educação profissional técnica de nível médio), e da Estratégia 12.2 (expansão e interiorização da educação superior). 
Site: https://www.ifsp.edu.br/
Representante do IFSP na Rede:  Prof. Me. Rodrigo de Benedictis Delphino
(Diretor de Cooperação e Sustentabilidade)
Contato: rodrigo.delphino@ifsp.edu.br 
Suplente do IFSP na Rede: Mariana Bertolotti Alves Pereira
(Diretora de Equidade e Ações Comunitárias)

A Universidade Estadual do Maranhão (Uema) é, há mais de 40 anos, a universidade de todos os maranhenses. É uma instituição de ensino gratuita e com uma estrutura multicampi que se ramifica por grande parte do território maranhense. Além disso, goza de autonomia didático-científica, administrativa e de gestão financeira e patrimonial.
A Uema foi criada em 1981, a partir da Federação das Escolas Superiores do Maranhão (FESM), que agrupava quatro escolas isoladas de ensino superior: Escola de Administração, Escola de Engenharia, Escola de Agronomia e Faculdade de Caxias. Em 1975, a FESM incorporou a Escola de Medicina Veterinária de São Luis e em 1979, a Faculdade de Educação de Imperatriz.
A FESM foi transformada na Universidade Estadual do Maranhão através da Lei nº 4.400, de 30 de dezembro de 1981, e teve seu funcionamento autorizado pelo Decreto Federal nº 94.143, de 25 de março de 1987, como uma autarquia de regime especial, pessoa jurídica de direito público, na modalidade multicampi. Desde então, a Uema tem avançado na interiorização por meio do ensino, da pesquisa e da extensão para estar presente em todo o estado. Democratizando, ao longo dos anos, o acesso ao conhecimento para milhões de maranhenses.
Atualmente, em 2023, possui alcance em 204 municípios por meio de campi com graduação presencial (20 municípios), pós-graduação stricto sensu (3 municípios), polos de educação a distância (52 municípios), programa Ensinar de Formação de Professores da Uema (42 municípios), Unabi (15 municípios), ProfiTec (11 municípios) e Proetnos (4 municípios).
Site: www.uema.br
Representante da UEMA na Rede:  Prof.ª Dr.ª Andrea Araujo do Carmo
(Superintendente de Gestão Ambiental)
Contato: andreaaraujo@professor.uema.br 
Suplente da UEMA na Rede: Ariadne Enes Rocha
(Assessora Chefe da Assessoria ODS UEMA)

O Ifes é o resultado da união de quatro antigas instituições federais de educação: o Centro Federal de Educação Tecnológica do Espírito Santo (Cefetes), a Escola Agrotécnica Federal de Alegre, a Escola Agrotécnica Federal de Colatina e a Escola Agrotécnica Federal de Santa Teresa. A história dessas instituições é centenária, sendo a mais antiga delas o Cefetes, fundado em 1909, durante o governo de Nilo Peçanha, sob o nome de Escola de Aprendizes Artífices do Espírito Santo.
Em dezembro de 2008 foi sancionada a a Lei nº 11.892, que criou 38 institutos federais de educação, ciência e tecnologia no país. No Espírito Santo, o Cefetes e as escolas agrotécnicas se integraram em uma estrutura única, o Instituto Federal do Espírito Santo.
O Instituto Federal do Espírito Santo oferece de cursos técnicos ao doutorado e possui mais de 30 mil alunos. São 98 cursos técnicos, 66 cursos de graduação, 34 cursos de pós-graduação em nível de especialização e aperfeiçoamento, 12 mestrados e 1 doutorado profissional.
Com 24 campi em funcionamento, incluindo o Centro de Referência em Formação e em Educação a Distância (Cefor), o Ifes se faz presente em todas as microrregiões capixabas. O Instituto possui ainda 49 polos de educação a distância no Espírito Santo, o Polo de Inovação e a Cidade da Inovação.
Site: https://www.ifes.edu.br/
Representante do IFES na Rede:  Renata Carneiro Sousa Kuster
(Presidente do Núcleo de Educação Ambiental – NEA)
Contato: rcarneiro@ifes.edu.br
Suplente do IFES na Rede: Elika Capucho Delazare
(Membro do NEA)

 

A Universidade de Taubaté (UNITAU) é uma Instituição Pública Municipal de Ensino Superior, criada pela Lei Municipal nº 1.498, de 06 de dezembro de 1974, e reconhecida pelo Decreto Federal nº 78.924, de 09 de dezembro de 1976, sob a forma de Autarquia Municipal de Regime Especial; regida pelas disposições legais gerais e específicas, pelo seu Estatuto e pelo Regimento Geral.
A UNITAU tem 2 (dois) campi, sendo o campus sede em Taubaté -SP, e o campus fora de sede em Caraguatatuba – SP, ambos na Região Metropolitana do Vale do Paraíba e Litoral Norte – RMVale.
Em mais de 60 anos de ensino superior e com 50 anos como Universidade, a UNITAU (Universidade de Taubaté) tem mais 9.000 alunos e já formou mais de 100 mil profissionais que hoje atuam em empresas nacionais e internacionais, órgãos de governo e organizações sociais, contribuindo para o desenvolvimento socioeconômico do país. Atualmente, oferece 34 cursos de graduação presenciais, 24 cursos EaD, 21 cursos de Especialização Lato Sensu, 11 programas Stricto Sensu, Residência médica, e também a Escola de Aplicação Dr. Alfredo José Balbi , que oferta educação básica.
Sua missão é oferecer educação de qualidade articulada às práticas de extensão e de pesquisa para formar profissionais aptos a gerar transformação para o desenvolvimento social e a sua visão é ser referência no Ensino Superior como agente de transformação social regional, por meio da excelência acadêmica.
Site: www.unitau.br
Representante da UNITAU na Rede: Prof. Dr. Paulo Fortes Neto
Coordenador do Centro Unitau de Sustentabilidade (CEUS)
Contato: paulo.fortes@unitau.br
Suplente da UNITAU na Rede: Prof. Dr. Gilberto Fernando Fisch
Vice-Coordenador do Centro Unitau de Sustentabilidade (CEUS)

 

A Universidade Federal do Rio Grande (FURG), fundada em 1969, está localizada na zona costeira sul do Rio Grande do Sul, tendo assumido em 1987 como política institucional a sua vocação ligada aos ecossistemas costeiros e oceânicos.
Através de uma estrutura de multicampia, a FURG atua nas cidades de Santo Antônio da Patrulha, São Lourenço do Sul e Santa Vitória do Palmar, consolidando-se como um importante dinamizador social do extremo sul do Brasil.
A universidade possui 66 cursos de graduação, 11 cursos de residência, 23 cursos de especialização, 34 cursos de mestrado e 14 cursos de doutorado, envolvendo mais de 11 mil alunos, 930 docentes e 1.109 técnicos administrativos em educação.
Em 2014 a FURG estabeleceu a sua Política Ambiental, regulamentada em 2015, tendo um Sistema de Gestão Ambiental já institucionalizado e operante. Desde 2018 aderiu à Agenda Ambiental na Administração Pública (A3P).
A FURG foi uma das primeiras Instituições de Ensino Superior do país a oferecer processos seletivos específicos para o ingresso de estudantes indígenas e quilombolas, sendo uma universidade que acredita no ensino superior público e gratuito como promotor do desenvolvimento científico e social, da cidadania e da solidariedade.
Site:  www.furg.br.
SGA: www.sga.furg.br
Representante da FURG na Rede: Prof.ª Dr.ª Dione Iara Silveira Kitzmann
Contato: docdione@furg.br
Suplente da FURG na Rede: Daniel Pereira da Costa

 

A Universidade Veiga de Almeida está entre as instituições de ensino superior mais tradicionais do Brasil. Com 51 anos de história, oferece cursos de graduação presenciais, semipresenciais e a distância, pós-graduações a distância, mestrados e doutorados. A UVA conta com uma estrutura de mais de 35 mil m², composta por quatro campi, Barra, Botafogo, Cabo Frio e Tijuca, além de um Centro de Saúde e Pesquisa e mais de 30 unidades de ensino a distância preparadas para atender seus 30 mil alunos, o que torna é uma instituição de referência para quem procura um ensino superior de qualidade.
Atuando desde 1972 no ensino superior, a instituição a UVA desempenha seu papel com responsabilidade social e ambiental. Consolidando o seu compromisso formal com a sustentabilidade, desde setembro de 2020, é uma das poucas instituições de ensino do Brasil signatárias do Pacto Global da ONU. Tendo formalizado o compromisso de formar profissionais e cidadãos engajados na implementação da Agenda 2030, desde 2020, a universidade integra no currículo dos cursos de graduação o Projeto UVA Maker. Este projeto pedagógico inovador utiliza a aprendizagem baseada em projetos, o design thinking e a inovação social no desenvolvimento de soluções que contribuam com os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS).
Site: www.uva.br
Representante da UVA na Rede: Prof.ª Dr.ª Viviane Japiassú Viana
Coordenadora do Núcleo de Inovação Pedagógica (NIP)
Contato: viviane.viana@uva.br
Suplente da UVA na Rede: Prof. Dr. Carlos Eduardo Soares Canejo Pinheiro da Cunha
 Diretor de Pós-Graduação, Pesquisa, Extensão e Inovação (DPPEI)

 

A Universidade Federal de Uberlândia (UFU) é uma fundação pública, integrante da Administração Federal Indireta, vinculada ao Ministério da Educação (MEC). Tem como Missão desenvolver o ensino, a pesquisa e a extensão de forma integrada, realizando a função de produzir e disseminar as ciências, as tecnologias, as inovações, as culturas e as artes, e de formar cidadãos críticos e comprometidos com a ética, a democracia e a transformação social. E sua visão é ser referência regional, nacional e internacional de universidade pública na promoção do ensino, da pesquisa e da extensão em todos os campi, comprometida com a garantia dos direitos fundamentais e com o desenvolvimento regional integrado, social e ambientalmente sustentável.
Com sete campi – quatro em Uberlândia (MG), um em Ituiutaba (MG), um em Monte Carmelo (MG) e um em Patos de Minas (MG) -, a UFU é o principal centro de referência em ciência e tecnologia de uma ampla região do Brasil Central, que engloba o Triângulo Mineiro, o Alto Paranaíba, o noroeste e partes do norte de Minas, o sul e o sudoeste de Goiás, o norte de São Paulo e o leste de Mato Grosso do Sul e do Mato Grosso.
É constituída de 32 Unidades Acadêmicas (16 Faculdades e 16 Institutos) e 2 Unidades Especiais de Ensino (Escola de Educação Básica – ESEBA e Escola Técnica de Saúde – ESTES). Conta também com três hospitais (Hospital de Clínicas de Uberlândia, Hospital Odontológico e Hospital Veterinário), três fazendas experimentais e uma reserva ecológica.
A UFU conta com 97 cursos de graduação com 20.285 matriculados; 78 cursos de pós-graduação stricto sensu com 3.992 matriculados e 173 matriculados no Pós-doutorado; 7 cursos de especialização presencial e EAD com 128 matriculados; 50 cursos de residência com 269 matriculados; 960 vagas na Educação Básica; 7 cursos de Educação Profissional com 614 matriculados, totalizando 26.270 matriculados em todas as modalidades. Conta também com 1.880 professores efetivos; 2.850 servidores
técnicos e 995 terceirizados.
Site: www.ufu.br
Representante da UFU na Rede: Prof.ª Dr.ª Jaluza Maria Lima Silva Borsatto
Presidente do Comitê Gestor dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável – CGODS
Contato: jaluza.silva@ufu.br
Suplente da UFU na Rede: Prof. Dr. Carla Bonato Marcolin
Membro do Comitê Gestor dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável – CGODS

Uma instituição centenária e, ao mesmo tempo, inovadora. Duas expressões que traduzem o perfil do Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia de Pernambuco (IFPE), cujas origens remontam ao ano de 1909, quando foi criada a Escola de Artífices do estado, e ao surgimento das escolas agrotécnicas federais ao longo da primeira metade o século XX.
Com 16 campi distribuídos do litoral ao sertão de Pernambuco, mais uma ampla rede de Educação a Distância, formada por 11 polos, o IFPE alia seu viés profissionalizante de origem, voltado a atender às demandas do mercado produtivo e da indústria, ao desenvolvimento do saber científico e à uma formação humanística. Mais do que profissionais, formam-se cidadãos, cientistas, indivíduos capacitados e engajados com os desafios do mundo contemporâneo, contribuindo assim para o desenvolvimento sustentável e a construção de uma sociedade mais justa e equitativa.
Em suas diversas áreas de formação, o IFPE tem um perfil, também, na área ambiental e oferta Mestrado Profissional em Gestão Ambiental, Bacharelado em Engenharia Ambiental, Tecnologia em Gestão Ambiental, Técnico em Meio Ambiente e Técnico em Saneamento. Além de diversas outras áreas que se interseccionam com a formação ambiental.
A preocupação com as questões sociais não perpassa apenas o nosso processo formativo por meio do ensino, da pesquisa e da extensão; a sustentabilidade está declarada como um dos nossos valores institucionais que sustentam nossos objetivos estratégicos, missão e visão institucional guiando nossas ações por meios de programas e políticas centrados nas questões sociais e, particularmente, nos sistemas de proteção e justiça social.
Site: https://portal.ifpe.edu.br/
Representante do IFPE na Rede: Diogo Henrique Fernandes da Paz
(Professor EBTT e Assessor Ambiental do IFPE)
Contato: diogo.paz@cabo.ifpe.edu.br
Suplente do IFPE na Rede: Fátima Verônica Pereira Vila Nova
(Professora EBTT)

A Universidade Federal de Santa Catarina atua na produção, sistematização e socialização do saber filosófico, científico, artístico e tecnológico, abrangendo todas as grandes áreas do conhecimento, em todos os níveis de formação acadêmica, por meio do ensino, da pesquisa e da extensão.
Fundada em 1960, a Universidade Federal de Santa Catarina atende à demanda por ensino, pesquisa e extensão em cinco campi, situados em Araranguá, Blumenau, Curitibanos, Florianópolis e Joinville. Com foco no ensino, na pesquisa e na extensão, a Universidade atua, de forma ampla, do ensino básico à pós-graduação, para a promoção do conhecimento e da cidadania. Reconhecida social e academicamente, a UFSC colabora com o
desenvolvimento econômico, político e social do estado e do país. Sua comunidade é constituída por cerca de 45 mil pessoas, entre estudantes, professores e servidores técnicoadministrativos em Educação. Atuam na instituição, ainda, voluntários e funcionários terceirizados, compondo uma população maior que a população de 70% das cidades de Santa Catarina.
Site: https://ufsc.br/
Representante da UFSC na Rede: Anna Cecilia Amaral Petrassi
(Coordenadora de Gestão Ambiental)
Contato: a.petrassi@ufsc.br
Suplente da UFSC na Rede: Gabriela Zampieri

Pública, centenária e respeitada internacionalmente, a UFRJ é a primeira universidade criada pelo Governo Federal, em 1920. Mas algumas unidades já estavam em funcionamento, como a Escola Politécnica, fundada em 1792, que é considerada a sétima escola de Engenharia mais antiga do mundo e a primeira das Américas. No início chamada de Universidade do Rio de Janeiro, a UFRJ reuniu a Escola Politécnica, a Faculdade Nacional de Medicina, criada 1808, e a Faculdade Nacional de Direito, criada em 1891.
Presença registrada nas dez melhores posições de diversos rankings acadêmicos na América Latina, a UFRJ conta, hoje, com 176 cursos de graduação e 232 cursos de mestrado e doutorado. Segundo o Ranking Universitário Folha 2019, a UFRJ é a universidade mais inovadora do país, o que se deve também à sua pluralidade: tem mais de 4 mil docentes, 65 mil estudantes, 3 mil servidores que atuam em hospitais e 5 mil técnicos-administrativos.
A UFRJ tem estrutura similar à de um município de médio porte, compatível com o seu grau de relevância estratégica para o desenvolvimento do país. Formou uma sucessão de ex-alunos notáveis, como o indicado ao Prêmio Nobel da Paz, Osvaldo Aranha; os escritores Jorge Amado e Clarice Lispector; o arquiteto Oscar Niemeyer; os médicos Oswaldo Cruz e Carlos Chagas; a jornalista Fátima Bernardes; e o matemático Artur Ávila, primeiro latino-americano a receber a Medalha Fields, honraria considerada equivalente ao Prêmio Nobel concedida a matemáticos de até 40 anos de idade.
Quarta instituição que mais produz ciência no Brasil, a UFRJ possui dois campi fora da capital fluminense: um em Macaé e outro em Duque de Caxias. Com projetos de ponta nas áreas científica e cultural, a antiga Universidade do Brasil tem sob seu escopo 9 hospitais e institutos de atenção à saúde, 13 museus, 1.456 laboratórios, 1.863 projetos de extensão, 14 prédios tombados, 45 bibliotecas e um Parque Tecnológico de 350 mil metros quadrados, com startups e empresas de protagonismos nacional e internacional.
Site: https://ufrj.br/
Representante da UFRJ na Rede: Francisco de Assis Esteves
(Professor Titular)
Contato: festeves0409@gmail.com
Suplente da UFRJ na Rede: Bettina Susanne Hoffman

A Universidade Federal do Tocantins (UFT) é uma entidade pública vinculada ao Ministério da Educação destinada à promoção do ensino, pesquisa e extensão, dotada de autonomia didático-científica, administrativa e de gestão financeira e patrimonial, em consonância com a legislação vigente (Artigo 207 da Constituição Federal). Link: https://ww2.uft.edu.br/gestao
Sua missão é formar cidadãos comprometidos com o desenvolvimento sustentável da Amazônia Legal por meio da educação inovadora, inclusiva e de qualidade (conforme redação dada pelo Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI) 2021-2025).
Sua visão é consolidar-se até 2025, como uma universidade pública, inclusiva, inovadora e de qualidade, no contexto da Amazônia Legal (idem).
São valores da UFT: •Respeito à vida e à diversidade; •Transparência; •Comprometimento com a qualidade e com as comunidades; •Inovação; •Desenvolvimento sustentável; •Equidade e justiça social e; •Formação ético-política.
Por fim, os desafios e objetivos estratégicos da Instituição, conforme o Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI 2021-2025) são: •Educação inovadora com excelência acadêmica; •Inclusão social; •Inovação, transferência de tecnologia e empreendedorismo; •Reconhecimento social e; •Mecanismos de governança pública.
Site: https://ww2.uft.edu.br//
Representante da UFT na Rede: Vanderlan Carneiro Dias 
(Engenheiro Agrônomo – Gestor Técnico de Processos de Licenciamento Ambiental)
Contato: carneirovan@uft.edu.br
Suplente da UFT na Rede: Eduardo Andrea Lemus Erasmo

A Universidade Federal de Roraima (UFRR) é uma fundação pública federal, localizada na região Norte do Brasil, foi autorizada pela Lei n° 7.364, de 12 de setembro de 1985, e criada por meio do Decreto-Lei n° 98.127, de 08 de setembro de 1989, cuja aula inaugural ocorreu em 19 de março de 1990. A UFRR é vinculada ao Ministério da Educação (MEC), o qual homologou o primeiro Estatuto da Universidade, por meio da Portaria no 578, de 24 de outubro de 1989, publicada no Diário Oficial da União (DOU) em 04 de dezembro de 1989. A UFRR fundamenta-se no princípio constitucional da indissociabilidade entre ensino, pesquisa e extensão, e tem autonomia didático-científica, administrativa, financeira e patrimonial.
A UFRR foi a primeira experiência brasileira de criação de universidade federal sem a disposição de instituições preexistentes que pudessem ser incorporadas à estrutura da Universidade. E sendo a primeira instituição de ensino superior do Estado de Roraima, em sua implementação, havia a necessidade de oferecer ao Estado a capacitação técnica e científica, que até o ano de 1989, esteve somente ao alcance das pessoas da comunidade roraimense que tinham condições de estudar em outros estados do Brasil.
Em março de 1990, foram iniciadas as atividades acadêmicas e administrativas da UFRR em uma área cedida pelo Governo do Estado, que hoje constitui o Campus Paricarana, composta por um prédio semiacabado, um prédio em construção e uma terceira edificação em estágio inicial de construção, os quais são denominados hoje de Bloco I, Bloco II e Bloco III, respectivamente.
A UFRR foi uma força emergente e dinâmica para o suprimento do processo de transformação do Território em Estado de Roraima, introduzindo novos perfis profissionais e novas posturas éticas. Nesse período, o estado ensaiou um deslanche empresarial na cidade e no campo, bem como as instituições educacionais passaram a ser contempladas com professores possuindo a habilitação requerida. Desde a sua criação, destacam-se alguns marcos históricos descritos de forma sintética a seguir:
MISSÃO, VISÃO E VALORES
Missão: Produzir, integrar e socializar conhecimentos para formar cidadãos comprometidos com o desenvolvimento cultural, social, econômico e ambiental.
Visão: Ser referência nacional e internacional em educação superior, reconhecida pela excelência no saber amazônico e fronteiriço.
Valores: Valorização humana, Transparência, Excelência, Comprometimento, Responsabilidade, Respeito e Proatividade.
Site: https://ufrr.br/
Representante da UFRR na Rede: Carlece Carvalho Duarte
(Administradora/Diretora de Planejamento)
Contato: carlece.carvalho@ufrr.br
Suplente da UFRR na Rede: Diógenes de Sena Cavalcante